Seguidores

05 julho 2020

Como ajudar seus filhos a serem mais alegres?




Uma das necessidades mais importantes para as crianças e muitas vezes esquecida é a alegria. A alegria é um sabor antecipado que pessoas e crianças sentem quando estão caminhando rumo à felicidade. Mas como podemos ajudá-las a serem mais alegres?

Capacidade de Amar

A alegria é um júbilo que se origina a partir do desenvolvimento de sua capacidade de amar. E como ensinar as crianças a amarem?
O modo mais efetivo de ensiná-las é através do contágio, pelo nosso exemplo e o das pessoas à sua volta, de suas atitudes e reações aos acontecimentos diários.

Educação no Positivo

A alegria também é resultante de uma educação no positivo. Pois educar no positivo alimenta a autoestima das crianças e vai formando uma visão otimista de si mesmas e das realidades à sua volta.
Essa autoestima e o otimismo, por sua vez, ajudam no bom humor e no espírito esportivo (aprender a rir de si mesmo), em um looping virtuoso.

Satisfação do trabalho bem feito

As crianças também vão ficando mais alegres à medida que procuram realizar bem todas as suas atividades. A alegria advém da satisfação do trabalho bem feito e do trabalho no qual foram colocadas as últimas pedras. São Josémaria comentava: “O começar é de muitos, já o terminar é de poucos.”
Neste sentido Victor García Hoz resume de forma esplêndida a raiz da alegria: “Apenas o bem feito educa e o bem feito sempre é uma fonte de alegria e realização”.
A alegria pode ser espontânea, quando se ganha um presente, uma surpresa, a visita de um amigo, mas deve ser sempre conquistada de forma intencional no dia a dia.

10 Dicas para viver a Alegria com as Crianças

1. Entusiasme-se com as crianças e elogie suas observações.

2. Faça coisas espontâneas como andar em poças d`água ou pintar a dedo com creme de barbear, fazer pipoca em uma panela sem tampa e outras atividades divertidas.

3. Cante, dance e brinque de esconde-esconde e outras brincadeiras infantis.

4. Invente movimentos e pratique jogos sensoriais e de equilíbrio.

5. Faça passeios de aprendizagem e tenha contato com a natureza.

6. Escute música bela e aprecie as artes.

7. Desenvolva atividades sociais, de generosidade com os outros.

8. Desfrute com elas do presente e das coisas simples e do cotidiano. Não viva dos “oxalás”...

9. Faça e ensine a fazer tudo, mesmo as pequenas coisas, de forma bem-feita e com amor.

10. Reze com as crianças agradecendo a Deus por todos os bens recebidos.

A alegria é um grande presente que podemos dar e ensinar a nossas crianças.

Por: Julia Manglano - Coluna "Bebê feliz" - Publicado no Portal da Família em 06/10/2019

Avós e netos: como fortalecer essa relação repleta de valores


Os avós são um pilar muito importante nas famílias de hoje em dia.   Além de oferecerem uma ajuda muito importante para os pais,   o vínculo criado entre avós e netos é rico, benéfico e fornece valores essenciais às crianças.
O ritmo de vida que muitos pais são obrigados a ter por causa de suas obrigações no trabalho faz com que  os avós participem muito ativamente da educação das crianças.  muitas vezes são eles que cuidam delas, as pegam na escola ou preparam sua comida .
Esta faceta tem um duplo significado.   Por um lado, os avós devem assumir tarefas e responsabilidades, apesar de sua idade, com os possíveis inconvenientes que isso pode acarretar.  Por outro lado , assumem seu papel com entusiasmo, já que para eles é uma nova oportunidade, e também sentem-se útil com a sua ajuda.
Por isso,  é importante nunca abusar desta situação e estar consciente, em todos os momentos, das condições emocionais e físicas dos idosos. P or exemplo, já que enquanto os pais trabalham é normal que os avós façam o papel de cuidadores das crianças, durante o fim de semana deveriam descansar dessa tarefa (o que não exclui a possibilidade de ver os netos, mas não no papel de cuidadores).

Fortalecer o vínculo entre avós e netos

Oferecemos algumas orientações básicas a seguir, que não apenas servem para fortalecer o vínculo afetivo entre avós e netos, mas também servem para fortalecê-los entre os avós e os pais.
Visitar os avós com frequência.   Se moram perto de casa, que sejam visitados com uma certa regularidade.   Se vivem longe, não é uma má ideia planejar a visita com antecedência e fazer com que as crianças a participem desse planejamento, porque assim vão ver esse momento como especial.
Mantenha contato.   Hoje em dia, com toda a tecnologia que temos à nossa disposição (como Skype, correio eletrônico e outras tecnologias) é fácil fazê-lo.  Mesmo que os avós não possuam ou saibam usar o computador, você sempre pode encontrar alguma maneira de enviar fotos ou vídeos mostrando as crianças em ação.
Falar dos avós para as crianças   .  Os pais podem mostrar fotografias ou contar histórias sobre quando eram mais jovens, e isso ajuda as crianças a sentirem os avós como sendo seus.
Compartilhar hobbies e passatempo.  Muitos idosos adquirem uma grande riqueza de conhecimento ao longo dos anos.   Ensinar as crianças a valorizar esse conhecimento e incentivá-los a aprender possui um grande valor, tanto educativo quanto afetivo.
Agradecer os avós pela ajuda   .   Lembre-se sempre que os avós não são os principais responsáveis por cuidar das crianças, e por isso é bom que sintam que estamos gratos (verbalmente ou até mesmo com algum detalhe de atenção).
Facilitar-lhes o trabalho.   Por exemplo, se costumam cuidar das refeições dos netos, é muito melhor se os pais já deixem a comida preparada previamente, para que eles não precisem gastar muito tempo na cozinha.   Quanto mais coordenadas estejam as tarefas, melhor.   Isso também inclui deixar disponível os números de telefones que possam necessitar no caso de uma emergência.
Evitar que os avós mimem em demasia as crianças.  Os avós em geral também possuem regrinhas que as crianças devem aprender a respeitar sobre: comidas, horários, higiene... No entanto, os pais devemos ter em mente que é nossa a responsabilidade de educar.

Prevenção: A segurança vem sempre primeiro

Quando as crianças ainda são muito pequenas, os pais precisam tomar algumas medidas de segurança em casa, como colocar protetores de tomada, retirar do alcance os objetos e produtos perigosos, os objetos que quebrem com facilidade, guardar bem os medicamentos, etc.   No entanto,  é provável que na casa dos avós essas medidas ainda não tenham sido tomadas , simplesmente por falta de hábito. Então, quando as crianças vão passar um período de tempo na casa dos avós,  é aconselhável verificar se as medidas de segurança foram adotadas , ou pelo menos alertar os avós sobre esses cuidados preventivos enquanto tomam conta das crianças.

Referências:


Dowshen, S. Crear vínculos afectivos con los abuelos. Kids Health. 2013

Niños que se quedan con los abuelos. C. P. Endocrinologia i nutrició, S. L. 2014


04 junho 2020

POESIAS SOBRE O MEIO AMBIENTE

05 de Junho - Dia Mundial do Meio Ambiente

Transforme o mundo, comece por você.

BRINCADEIRAS JUNINA PARA AS CRIANÇAS EM CASA.


Tradicionais em todo o Brasil, as brincadeiras de festa junina são cada vez menos conhecidas nos centros urbanos, embora sejam superdivertidas. Conheça algumas delas.

Corrida de três pés

Marca-se um local de partida e outro de chegada. Os participantes são reunidos em duplas. Com uma fita, o tornozelo direito de um é amarrado ao tornozelo esquerdo de seu par. Dado o sinal, as duplas participantes devem correr até a chegada. Vence a dupla que chegar primeiro.

Cadeia


Escolhe-se um local isolado ou cercado por cadeiras para ser a cadeia. Algumas pessoas tomam conta do local. Durante a festa, os convidados podem indicar quem deve ser preso. Aqueles que cuidam da brincadeira vão atrás do “fugitivo” e o deixam preso na cadeia. Para ser solto, deve-se cumprir algo combinado com antecedência: fazer uma dança, cantar uma música, demonstrar outra habilidade ou pagar um mico.

Jogo das argolas



Enchem-se com água garrafas plásticas de refrigerante, e marca-se uma linha de arremesso em torno de 1,5 metro de distância. Cada participante deverá receber argolas para as tentativas de acerto. Vence quem acertar o gargalo das garrafas com o maior número de argolas.

 Corrida do milho



Coloca-se uma bacia com grãos de milho atrás de uma linha. Atrás de outra linha, a uma boa distância, os participantes são reunidos aos pares. Uma pessoa segura uma colher e a outra um copo descartável. Dado o sinal, os participantes com a colher correm até a bacia, enchem a colher com milho e voltam para a linha de largada, onde colocam o milho no copo que seu parceiro está segurando. Vence a dupla que encher primeiro o copinho com milho.
 Boca do palhaço


Prepara-se um grande painel retratando o rosto de um palhaço. A boca é um buraco e o jogo consiste em acertar bolinhas lá dentro. O jogador pode ter cinco tentativas e a bolinha pode ser feita de meia.


Correio elegante



É a entrega de mensagens durante a festa através de bilhetes. Uma pessoa é responsável por ser o carteiro e entregar os bilhetes, além de disponibilizar papel decorado e canetas. É uma boa oportunidade para impressionar alguém de quem se gosta ou para fazer uma brincadeira descontraída entre amigos.

 Cabo de guerra


Uma linha no chão divide o campo do jogo ao meio e os participantes são separados em dois times iguais. Cada grupo fica em fila num lado, segurando uma corda de uns cinco metros de comprimento. O meio da corda deve ficar em cima da linha traçada no chão, e, quando é dado o sinal, os participantes puxam a corda para o seu lado. Vence o grupo que conseguir fazer um participante do outro grupo pisar a linha traçada no chão.

 Corrida do saco



Consiste numa corrida onde os participantes devem pular dentro de um saco de estopa (saco de farinha, por exemplo). Quem atingir a reta final primeiro ganha a partida.

Corrida de carrinho de mão



Esta brincadeira é realizada em duplas. Quem está na frente apoia as mãos no chão e estica as pernas. O parceiro que fica atrás levanta as pernas do que está na frente, e fica entre elas, segurando na altura do joelho, como se a primeira pessoa fosse um carrinho de mão. Quando é dado o sinal, as duplas correm, um com os pés e o outro com as mãos. Ganha quem chegar primeiro no outro lado. Quem cair volta para a linha de largada.



 Pescaria



Numa grande caixa ou bacia com areia, colocam-se peixinhos de madeira ou papelão. O objetivo é pescá-los, usando uma varinha. É possível fazer um furinho nos peixes para que o anzol o fisgue ou usar ímãs.


02 junho 2020

ATIVIDADES DO LIVRO O HOMEM QUE AMAVA CAIXAS


O Homem Que Amava Caixas - Vídeo

Sequência didática: O homem que amava caixas


“O HOMEM QUE AMAVA CAIXAS”



Livro: O homem que amava caixas
Autor: Stephen Michael King
Ilustração: Stephen Michael King
Editora Brinque-book



Sinopse:
Este livro fala de maneira simples e bonita sobre o relacionamento entre pai e filho. Com ilustrações alegres e muita sensibilidade, 'O Homem que Amava Caixas' conta a história de um homem que era apaixonado por caixas e por seu filho.



Leia a história:



O homem que amava caixas
Stephen Michael King


Era uma vez um homem
O homem tinha um filho

O filho amava o homem
e o homem amava caixas.

Caixas grandes

caixas redondas
caixas pequenas 
caixas altas
todos os tipos de caixas!

O homem tinha dificuldade em dizer ao filho que o amava;

então, com suas caixas, ele começou a construir coisas para seu filho.
Ele era perito em fazer castelos
e seus aviões sempre voavam...
a não ser, claro, que chovesse.

As caixas apareciam de repente, quando os amigos chegavam, e, nessas caixas, eles brincavam...

e brincavam...
e brincavam.

A maioria das pessoas achava que o homem era muito estranho.

Os velhos apontavam para ele.
As velhas olhavam zangadas para ele.
Seus vizinhos riam dele pelas costas.

Mas nada disso preocupava o homem,

porque ele sabia que tinham encontrado uma maneira especial de compartilharem...
o amor de um pelo outro.


DURAÇÃO: uma semana

ÁREA DO CONHECIMENTO PRIVILEGIADA:  Matemática

OBJETIVO DESTA SEQUÊNCIA:

O que o aluno poderá aprender com esta aula:
- Desenvolver cuidados com o meio ambiente a fim de preservá-lo cuidando dos espaços em que estamos inseridos;
 - Refletir sobre o reaproveitamento de materiais que seriam lançados no lixo;
- Construir brinquedos com materiais recicláveis e reutilizáveis;
 - Brincar com brinquedos alternativos.

CONTEÚDOS:

MATEMÁTICA: Sólidos geométricos (planificação de caixas, e atividades relacionadas).
Identificação de propriedades geométricas: formas, tipos de contorno, faces planas, lados retos.  
   
LINGUAGENS: apresentação dos trabalhos para o grande grupo. ( expressão oral, exposição de ideias, leitura, interpretação de textos e imagens).

ARTES: os procedimentos para montar, dar acabamento, brinquedos.

AVALIAÇÃO:
Baseada nos  comportamentos e atitudes das crianças durante e  depois do projeto acabado. Partindo de questionamentos que possibilitem perceber a aprendizagem das crianças sobre esses conhecimentos. Construiu noções sobre como reaproveitar os materiais que iriam para o lixo? Participou das atividades propostas? Qual tipo de brinquedo foi construído com as caixas?  As crianças se envolveram na proposta? São questões que podem dar um suporte para sua avaliação e conduzir inclusive a reorganização do pensamento. 


PROCEDIMENTOS:
- Apresentação do vídeo e do livro "O homem que amava caixas";
-  Questionamentos orais sobre o tema da história:
A) Qual a forma que o pai encontrou de dizer ao filho que o amava?
B) Você sabe  os jeitos  dizer que amo uma pessoa?   Dê exemplos.

ATIVIDADE:

- Explorar a planificação de caixas;
- Depois deixar que criem brinquedos  com as caixas.



31 maio 2020

Atividades de Leitura para tempos de isolamento social (alfabetização)


Livros on-line e gratuitos para as crianças na quarentena


A literatura pode ser uma boa aliada para atravessar tempos difíceis. Conheça sites e editoras que disponibilizam acesso gratuito a livros infantis.
As aulas escolares foram suspensas e as crianças ganharam mais tempo livre, embora não sejam recomendadas atividades nas ruas, nem o contato com os colegas.
Como possibilidade de entretenimento entre quatro paredes, está a leitura. Além do livro ser uma boa companhia, as palavras têm esse poder secreto de nos conectar e oferecer algum conforto. São capazes, inclusive, de ajudar a organizar sentimentos que essa situação atípica de isolamento social pode ter despertado nas crianças.

29 maio 2020

Leia para uma criança nessa quarentena!




Leia para uma criança nessa quarentena! Campanha do Itaú distribui livros infantis grátis pelo Whatsapp
Esse tempo de isolamento dentro de casa pode ser uma boa oportunidade para incentivar a leitura para os pequenos. Uma dica que pode ajudar nessa tarefa é a campanha “Leia para uma criança” do Itaú Unibanco, que está disponibilizando gratuitamente livros infantis em formato digital, pelo Whatsapp.

Como usar o Powerpoint para Fazer uma Vídeo Aula Animada - Para Iniciantes