Seguidores

15 janeiro 2021

Avós – Tem prata nos cabelos e ouro no coração


 

Avós – Tem prata nos cabelos e ouro no coração.

Os avós já exerceram o papel de pais.

Por isso, agora é a hora de desfrutar ensinando, sem a necessidade de impor autoridade, e compartilhar momentos inesquecíveis com seus netos.

Os avós são pontos cardeais na vida de quem teve o prazer de desfrutar da sua companhia.

Heróis de nosso passado que estarão sempre ao nosso lado, seja no presente ou no futuro.

CONTINUE LENDO NESTE LINK...

21 outubro 2020

QUANDO A CASA DOS AVÓS SE FECHA


Acho que um dos momentos mais tristes da nossa vida é quando a porta da casa dos avós se fecha para sempre, ou seja, quando essa porta se fecha, encerramos os encontros com todos os membros da família, que em ocasiões especiais quando se reúnem, exaltam os sobrenomes, como se fosse uma família real, e, sempre carregados pelo amor dos avós, como uma bandeira, eles (os avós) são culpados e cúmplices de tudo.

Quando fechamos a casa dos avós, também terminamos as tardes felizes com tios, primos, netos, sobrinhos, pais, irmãos e até recém-casados que se apaixonam pelo ambiente que ali se respira.

Não precisa nem sair de casa, estar na casa dos avós é o que toda família precisa para ser feliz.

As reuniões de Natal, regadas com o cheiro a tinta fresca, que cada ano que chegam, pensamos “...e se essa for a última vez”? É difícil aceitar que isso tenha um prazo, que um dia tudo ficará coberto de poeira e o riso será uma lembrança longínqua de tempos talvez melhores.

O ano passa enquanto você espera por esses momentos, e sem perceber, passamos de crianças abrindo presentes, a sentarmos ao lado dos adultos na mesma mesa, brincando do almoço, e do aperitivo para o jantar, porque o tempo da família não passa e o aperitivo é sagrado.

A casa dos avós está sempre cheia de cadeiras, nunca se sabe se um primo vai trazer namorada, porque aqui todos são bem-vindos.

Sempre haverá uma garrafa térmica com café, ou alguém disposto a fazê-lo.

Você cumprimenta as pessoas que passam pela porta, mesmo que sejam estranhas, porque as pessoas na rua dos seus avós são o seu povo, eles são a sua cidade.

Fechar a casa dos avós é dizer adeus às canções com a avó e aos conselhos do avô, ao dinheiro que te dão secretamente dos teus pais como se fosse uma ilegalidade, chorar de rir por qualquer bobagem, ou chorar a dor daqueles que partiram cedo demais. É dizer adeus à emoção de chegar à cozinha e descobrir as panelas, e saborear a “comida da nona”.

Portanto, se você tiver a oportunidade de bater na porta dessa casa e alguém abrir para você por dentro, aproveite sempre que puder, porque ver seus avós ou seus velhos, ficar sentado esperando para lhe dar um beijo é a maior sensação, maravilhosa, que você pode sentir na vida.

Descobrimos que agora nós temos que ser os avós, e nossos pais se foram, nunca vamos perder a oportunidade de abrir as portas para nossos filhos e netos e celebrar com eles o dom da família, porque só na família é onde os filhos e os netos encontrarão o espaço oportuno para viver o mistério do amor por quem está mais próximo e por quem está ao seu redor.

Aproveite e aproveite a casa dos avós, pois chegará um tempo em que na solidão de suas paredes e recantos, se fechar os olhos e se concentrar, poderá ouvir talvez o eco de um sorriso ou de um grito, preso no tempo. De resto, posso dizer que ao abri-los, a saudade vai pegar você, e você vai se perguntar: por que tudo foi tão rápido? E vai ser doloroso descobrir que ele não foi embora ... nós o deixamos ir ...

Anônimo


 

A Força do Professor

13 outubro 2020

Plano de aulas remotas – Como elaborar?

 

Comunicação com os alunos em ambientes virtuais

Os estudantes de hoje se comunicam com desenvoltura no meio digital, às vezes mais do que seus pais e professores. A interação nesses espaços tem muito a acrescentar à prática pedagógica para o desenvolvimento do plano de aulas remotas.

As ferramentas e plataformas para isso são abundantes. Apresentamos a seguir algumas sugestões de comunicação remota com os alunos:

CONTINUE LENDO NESTE LINK...

11 setembro 2020

Sarah Farias - Sobrevivi (Clipe Oficial MK Music)


SOBREVIVI Foram noites intermináveis, eu só chorava Bem no auge da minha dor nada me consolava Mas eu sobrevivi como a águia solitária E a sorte de novo sorriu pra mim Deus me escondeu bem debaixo de Suas asas Nenhuma peste me matou, nenhuma flecha me atingiu Eu aprendi a ganhar, perdendo Aprendi a subir, descendo Doeu, doeu, mas eu cresci E cresci, diminuindo Apareci, desaparecendo E o poder de Deus na minha fraqueza se aperfeiçoou Tem coisa boa chegando, tem algo acontecendo E não importa o que eu sofri O que importa é que eu sobrevivi Autora: Sarah Farias

22 agosto 2020

AULAS REMOTAS EM TEMPOS DE PANDEMIA

 

As aulas remotas realizadas no contexto do coronavírus são atividades de ensino mediadas pela tecnologia, mas que se orientam pelos princípios da educação presencial. Aulas remotas oferecem a continuidade da escolarização por meio de recursos tecnológicos, só que a distância. Normalmente, as lições são encaminhadas às turmas pelos professores de cada matéria, no mesmo horário da aula presencial.

Aula remota e educação a distância são a tendência do momento para dar continuidade ao ano letivo em meio às restrições impostas pela pandemia de COVID-19. Com a suspensão das aulas presenciais, o Ministério da Educação, em caráter excepcional, divulgou e tem prorrogado uma portaria que autoriza a retomada das disciplinas em andamento por meio de aulas on-line e atividades remotas. A medida é válida para universidades federais, faculdades privadas e outras unidades de ensino.

CONTINUE LENDO NO LINK...

A impossibilidade de realizar os encontros presenciais entre professores e alunos...

 Fonte: Brasil Escola


17 agosto 2020

O que é a Velhice?

 https://lunetas.com.br


O que é a Velhice

Autor Desconhecido

A mãe conta que seu filho pequeno - com a curiosidade de quem ouviu uma nova palavra mas ainda não entendeu seu significado - perguntou-lhe:

- "Mamãe, o que é a velhice?"

Na fração de segundo antes da resposta, a mãe fez uma verdadeira viagem ao passado. Lembrou-se dos momentos de luta, das dificuldades, das decepções. Sentiu todo peso da idade e da responsabilidade em seus ombros. Tornou a olhar para o filho que, sorrindo, aguardava uma resposta, e disse-lhe:

"Olhe para meu rosto, filho", disse ela. "Isso é a velhice".

E imaginou o garoto vendo as rugas, e a tristeza em seus olhos. Qual não foi sua surpresa quando, depois de alguns instantes, o menino respondeu:

- "Mamãe! Como a velhice é bonita!"